"The whole purpose of life is to make God a reality."

"Be like the Sun for grace and mercy. Be like the Night to cover other's faults. Be like running Water for generosity. Be like Death for rage and anger. Be like the Earth for modesty. Appear as you are. Be as you appear" ~ Rumi


quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Quando você estiver velhinho...



O que lhe fará feliz no fim?
Quando você já tiver vivido a maior parte de sua vida,
e já sentir os sintomas do tempo no corpo e na alma...
... já pressentir a partida...
o que lhe dará satisfação (ou insatisfação)??

Quando você olhar pra sua vida e ver tudo o que realizou (ou não realizou)
o que você sentirá?

Buscou seus sonhos? Teve sucesso? Agiu com o coração?
Fez grandes amigos?
Foi fiel às suas convicções?
Descobriu seus dons e colocou-os em prática? Ou deixou-os de escanteio, secundários...

Superou as perdas e deu a volta por cima?

Viveu um grande amor?? Construiu uma Família?

Estudou tudo o que gostaria?

Quando olhar pra trás e ver a vida que passou voando,
quantas coisas será que deixou de fazer?
quanto tempo desperdiçou?
quanta preguiça o impediu de avançar?

Quanto medo inútil reprimiu sua coragem?

Quantos arrependimentos sentiu?

Quantas dúvidas jamais foram sanadas?

Será que você foi verdadeiramente VOCÊ MESMO???

Cumpriu a missão que Deus lhe concedeu nessa Vida? Tem idéia de qual seja?

Quais foram as constantes em sua vida? Alegria? otimismo?
ou mal-humor e pessimismo...?

E... principalmente... Ao final da vida você fará um balanço positivo de seu ser, de sua manifestação no planeta... de sua evolução??

Você se amará completamente? Você será o próprio amor fluindo?
ou será corroído pelas mágoas e rancores?

Será que ao fim da vida, no leito de morte, haverá possibilidade de você sentir a União Divina que existe sempre conosco? Sentirá a radiante PRESENÇA EU SOU dentro de você pulsando forte, livre, viva como nunca??

No fim da vida de meu pai, gostaria que ele se orgulhasse de tudo o que ele é, de tudo o que ele fez, o que ele foi e o que atingiu nessa vida... Independente das grandezas conquistadas, o simples fato de viver com honra e dignidade, amando e fazendo coisas belas, já é uma simples grandeza. Fico desapontada de vê-lo em seus sessenta anos de auto-crítica, um alto-julgamento injusto, escorpianino venenoso, se desvalorizando em seus méritos, escondendo suas maravilhas e quase se envergonhando delas? Ahhh não, por favor! Uma pessoa com um talento de deixar as pessoas de boca aberta, um artista maravilhoso, um senso de estética que beira à perfeição, uma sensibilidade delicada e sutil... escondidos sob o véu da auto-punição, da desesperança, da não aceitação amorosa total de si mesmo... e o pior é que não é só com ele mesmo, sinto esse reflexo de crítica e desprezo em mim, sei que é algo bem escondido, algo que, agindo como minha própria psicanalista, eu vejo e percebo que desde pequena eu sentia que para ele eu não era boa o bastante, eu não era bonita o suficiente, nem dedicada o suficiente em nada... enfim, que animador isso hein...! hahah, ainda bem que descobri essa sensação ruim dentro de mim, uma sombra que me podava o brilho e a alegria de ser quem eu sou! e agora, com amor, ilumino essa sombra... amor fluindo...
afinal, nunca seria feliz querendo que outra pessoa me valorize, pois tenho que ser feliz é para mim, dentro de mim é que mora o segredo da minha Felicidade!
E de alguma forma eu sei que, agindo dessa maneira, ele terá orgulho de mim, sua filha Oriana.

Hoje, seguindo muito mais o meu coração e a minha essência, estou harmonizada com ele, na compreensão, na tolerância e no perdão (tanto quanto à ele quanto à mim mesma), e também tenho notado que ele não tem culpa de ter feito com que eu me sentisse daquela maneira... talvez eu tenha puxado a ele em algum desses sentimentos de auto-crítica... rsrss

Enfim, quando eu for morrer, quero morrer feliz! e sabendo que, onde meu pai estiver, ele estará sempre ao meu lado me dando amor e proteção... me lembrando sempre o valor do trabalho e da disciplina... porém, sem deixar de lado nem menosprezar o valor da arte e da sensibilidade!!! e da minha beleza única, excêntrica e negra, não apenas européia.

Pai, gostaria que você enxergasse o brilho da vida com mais amor, mais auto-valorização, mais orgulho saudável de si mesmo, mais otimismo perante à vida e à velhice ... quem sabe Deus me dá a dica de como posso fazer pra te mostrar tudo de lindo que você é! Mostrar ao mundo todo a sua grandeza!

Obrigada por você ser exatamente o que você é!!! Eu te amo muito!

Feliz Ano novo!!! Começou o Festival de Weesak!!!

Nenhum comentário: